Estamos enfrentando situações adversas com o aquecimento global, a escassez de água que aciona escassez de energia e a seguir escassez de alimentos. Ora, são recursos naturais que foram abundantes no Brasil e que talvez por isso, nunca cuidamos deles como deveríamos.

Em 2014 vimos quebrar o “Império X” capitaneado por Eike Batista, que surgiu, cresceu rapidamente e implodiu deixando alguns poucos milionários e uma maioria no prejuízo. Estamos participando da sétima fase da Operação Lava-Jato, que pela primeira vez nos últimos 500 anos de Brasil prendeu e manteve presos alguns empresários e diretores, incluindo CEOs do seleto cartel das mais lucrativas empreiteiras do país, tudo dentro de uma democracia republicana. Conhecidos e alguns réus confessos são diretores daquela que já foi a maior empresa do Brasil, a Petrobras, que por anos seguidos misturaram corrupção política e patrimônio de acionistas públicos e privados. Bancos suíços pela primeira vez na história abriram as contas de indiciados em fraudes por corrupção e lavagem de dinheiro, quer sejam empresários, políticos ou funcionários públicos. O cartel que funcionou por quase 7 décadas, com o início da construção de Brasília, já rompeu a base da confiança do clube e cada um está tentando salvar sua própria pele, seu patrimônio pessoal e familiar. Se necessário for, rompem os segredos guardados por tanto tempo, entregam os membros do clube e querem ver os políticos corruptores da organização criminosa também atrás das grades.

No apagar de 2014, vimos em poucos dias o preço do barril de petróleo despencar de USD 100 para USD 45. Estamos frente a uma nova ordem mundial de relações econômicas e políticas, de forças, de poder.

A única certeza que temos é que não temos garantia de nada! A realidade de antes faz parte da História. Estamos construindo um novo Mundo, um novo Brasil, plural e com cabeças pensantes de várias gerações, especialmente os jovens da geração Y, nativos digitais, conectados, antenados aos valores de qualidade de vida, de sustentabilidade, de valores éticos das organizações. Sem medo de perder o emprego, lutam por seus princípios. E com eles o Brasil entra na era do empreendedorismo, inspirados na cultura do Vale do Silício, Califórnia-USA. Empresas de tecnologia na construção de um Novo Mundo com aplicativos mobile que facilitam todas as tarefas, conhecimentos, conectividade, e ainda, de uso global.

Convido você a se reinventar para o século 21, a abrir espaços de inovação em sua organização, a treinar negociação com todas as pessoas e situações, pensando de forma sustentável – com visão de futuro – e ainda de forma que todos seus parceiros se sintam felizes, com lucros, tanto na hora da transação comercial quanto após. Ah… tenho uma certeza, as negociações não param nunca.

Glória Pereira – CEO e Founder da Sinergia Comunicação S/A